segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Exames e avaliação médica antes de começar os treinos são essenciais

Por Bruna Stuppiello



 Os executivos que irão participar da corrida da Disney à convite do Minha Vida começaram a realizar diversos exames médicos no Fleury Medicina e Saúde para garantir que estão com a saúde em dia para participar da prova de corrida. "Eles irão praticar um esporte que exige muito do esportista e por isso uma avaliação minuciosa deve ser feita para garantir a segurança e a saúde do indivíduo", explica o médico do esporte Dimas Elias Democh Junior, médico responsável pelo Check Up Fitness do Fleury Medicina e Saúde. "Em casos de exercícios de alta intensidade ou treinos longos pode haver desidratação excessiva, temperaturas elevadas, alta demanda energética, desgaste físico e estresse intenso (muscular, articular, celular) e sobrecarga cardíaca", alerta o especialista.

 As avaliações são feitas por um médico do esporte e em alguns casos por uma nutricionista. "Feitos os exames, o paciente volta para o médico do esporte que vai dar recomendações dependendo dos resultados. Este especialista vai fazer uma prescrição para o educador físico com as recomendações do ponto de vista médico", explica o médico do esporte Ricardo Nahas, coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho de São Paulo e da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

Confira quais são os principais exames realizados antes do início dos treinos e entenda porque eles são importantes para quem vai iniciar uma preparação física.

Perimetria

A perimetria é a medida da circunferência de um segmento corporal, como membros, abdômen, cintura e quadril. "Assim, é possível comparar os membros superiores e inferiores em relação à assimetria de um membro com o outro que eventualmente pode prejudicar o treinamento", diz o médico do esporte Dimas Elias Democh Junior.

Antropometria

A antropometria avalia as medidas de peso, estatura, proporções do corpo e composição corporal. Com esses dados é possível determinar o índice de massa corporal (IMC) que irá dizer se a pessoa está com baixo peso, sobrepeso ou obesidade (graus I, II e III). A partir da avaliação das circunferências abdominal e do quadril pode se estabelecer a relação cintura/quadril, associada ao diagnóstico de acúmulo de gordura central. "Em ambos os casos, relação cintura/quadril e IMC, se tem uma correlação direta com maior risco de eventos cardiovasculares e mortalidade", explica Democh Junior.

Densitometria de corpo total

Este exame permite saber a composição corporal, quantidade de músculos e de gordura do corpo. "Ele é importante para que o médico saiba o quanto de musculação a pessoa precisa fazer. O teste ergométrico irá dizer a frequência cardíaca da pessoa para o treinamento, mas se ela tiver poucos músculos, eles não terão como responder aquela frequência cardíaca, o coração é capaz de acompanhar, mas as pernas não", constata o médico do esporte Ricardo Nahas. 

O excesso de gordura também está relacionado com problemas de saúde. "O risco de eventos cardiovasculares é maior. Por ser um método não invasivo e preciso é possível continuar com reavaliações a longo prazo, após uma mudança na dieta aliemntar e de treinamento", afirma Democh Junior.



Avaliação de postura, força e flexibilidade

A avaliação postural é muito importante porque permite um detalhamento do equilíbrio músculo esquelético, identificando eventuais acentuações de curvaturas fisiológicas como projeção dos ombros à frente, cintura escapular, coluna vertebral, cintura pélvica, joelhos e pés.

Já a avaliação de flexibilidade é realizada no banco de Wells que permite identificar grupos musculares na região posterior da coxa (os isquiotibiais), com déficit de comprimento ou encurtamento. Dessa forma, se permite uma intervenção preventiva contra lesões musculares e melhorar o desempenho. "Afinal, para realizar treinos intensos a pessoa precisa de uma amplitude da musculação o mais próximo do normal possível", conta Nahas.

Teste cardiopulmonar

O teste cardiopulmonar avalia o consumo máximo de oxigênio, frequência cardíaca e a pressão arterial. "O exame ajuda a saber qual será a intensidade do treino da pessoa", explica Nahas. Também irá avaliar a saúde do atleta. "Isto porque ele analisa algumas variáveis que possam colocar em risco o esportista durante a prática de atividade física de alta intensidade, como possíveis arritmias induzidas pelo esforço, monitoramento da pressão arterial e eventuais alterações ou sintomas sugestivos de doença coronariana", conta Democh Junior. 

Para realizar esse teste o paciente é submetido a uma atividade física aeróbica, normalmente corrida ou andar de bicicleta, o exame pode ser feito um ambiente fechado na pista de corrida. São colocados eletrodos no paciente e uma máscara que capta o fluxo de ar inspirado e expirado, oxigênio e CO2. O teste consiste em um aumento linear e progressivo do aeróbico até a exaustão.



Exames laboratoriais

Os exames laboratoriais são importantes, pois permitem saber determinadas restrições ao exercício e ao treinamento. O hemograma completo irá mostrar a quantidade de glóbulos vermelhos. "São eles que transportam o oxigênio para o sangue, se houver alteração na quantidade o fornecimento de energia para o músculo fazer seu trabalho é comprometido", afirma Nahas.

Já o exame de glicemia em jejum permite saber se a pessoa é diabética ou não, enquanto o de colesterol permite constatar os benefícios do treino. "Isto porque com os exercícios o colesterol bom, HDL, irá aumentar", observa Nahas. O exame de triglicérides, que avalia a quantidade de um tipo de gordura no sangue, e o de ácido úrico, que observa o metabolismo de proteínas também são realizados.

Avaliação com nutricionista

Para ter um bom treino é preciso uma boa recuperação e isso somente é conseguido com repouso, uma boa noite de sono, e fornecimento adequado de macro e micronutrientes por meio da alimentação equilibrada. "Eles irão suprir as demandas energéticas e auxiliar na reparação celular pós-treino. Sendo assim, é imprescindível uma avaliação individualizada com uma nutricionista para adequar e reestruturar os hábitos alimentares suprindo as necessidades do exercício, incluindo a proporção de carboidratos, proteínas e gorduras na dieta e a orientação da quantidade e horário de cada refeição de acordo com o treino", diz Democh.

Fonte: minhavida.com.br

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Alongamento: veja os benefícios

O alongamento serve para aumentar a flexibilidade, preparar a musculatura antes do treino e desacelerar depois. Saiba mais sobre os benefícios do alongamento

Reportagem: Carla Festucci


Essencial para o nosso corpo, o alongamento não precisa ser exaustivo e muito menos dolorido! E como benefícios, eles aumentam a nossa flexibilidade, melhoram a postura, preparam a musculatura antes do treino e desaceleram o corpo depois dele.

Além disso, um estudo realizado na Universidade Federal de São Carlos(UFSCar), pela fisioterapeuta Eliane Coutinho, revelou que os exercícios de alongamento sem uso de carga - mantidos durante 60 segundos, com intervalos de 30 segundos -aumentam o comprimento do músculo e a massa muscular.

Alongar-se aumenta a flexibilidade e melhora a postura
Foto: ShutterStock

"Os alongamentos são muito importantes sim para uma boa condição física. Uma pessoa consegue ficar sem trabalhar a flexibilidade, mas com certeza terá um déficit num âmbito geral", diz a professora de Educação Física da Academia Competition(SP), Adriana Ramos Schierz.

Segundo ela, o alongamento deve progredir de maneira crescente e de acordo com a necessidade de cada indivíduo. E atenção à dica: "a atividade será eficaz se todos os segmentos estiverem bem posicionados, com atenção aos detalhes: calma e isolamento contribuem para o sucesso do exercício".

Segundo o presidente do Comitê de Traumatologia do Esporte da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Dr. André Pedrinelli, geralmente dá para melhorar em até 30% o alongamento de uma pessoa. Aproveite que as mulheres têm maior facilidade para essa atividade e se jogue nestes exercícios saudáveis, prazerosos e necessários!

Fonte: corpoacorpo.uol.com.br

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Sem dor nas costas com exercícios

O tempo em que ela era motivo para ficar em casa, em vez de malhar, já era. Hoje, a ginástica é mais solução do que problema para esse mal moderno – basta escolher a modalidade certa

Por Manuella Menezes  |  Fotos Chris Parente


Você passa várias horas trabalhando na frentedo computador e gasta um tempão presa no trânsito todo dia. Na academia, faz seu treino de olho no relógio e, quando chega em casa à noite, só quer se jogar no sofá de qualquer jeito para assistir à sua novela. Antes de dormir, aproveita para ler um pouco na cama e não resiste àquela acessada no seu perfil no Facebook - e, confesse, já chegou até a pegar no sono conectada -, com o corpo todo torto. Essa rotina parece a sua? Você não está sozinha - nem nos hábitos nem no risco de sofrer de dor nas costas, já que ela é resultado principalmente da nossa postura errada no dia a dia.

De acordo com um estudo da Escola Nacional de Saúde Pública, 36% dos brasileiros se queixam do problema. Dado mais alarmante: a Organização Mundial de Saúde estima que 80% da população global teve, tem ou terá dor nas costas em algum momento da vida. "A mais comum é na região lombar, causada principalmente por sedentarismo, excesso de peso, erros na execução dos exercícios e postura errada no dia a dia, como sentada diante do computador e na posição escolhida para dormir", esclarece o fisioterapeuta esportivo David Homsi, de São Paulo.


Drama feminino
Nós, mulheres, somos vítimas em potencial. Além da anatomia que convida a desequilíbrios posturais - quadris mais largos e joelhos em xis -, há os fatores salto alto, bolsa pesada carregada em um ombro só, exagero de exercícios para o bumbum, mania de encolher a barriga a fim de parecer mais magrinha... Todos vilões da dor. "No consultório, atendo três mulheres para cada homem", confirma o ortopedista Moisés Cohen, chefe do departamento de ortopedia e traumatologia da Unifesp e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte, em São Paulo. Isso sem falar no momento da gravidez - quando o peso corporal aumenta e a sobrecarga na coluna também - e no stress da vida moderna, que deixam a gente com a sensação de carregar o mundo nas costas e faz o corpo sofrer de verdade.

Procura-se alívio
Quem já deu um mau jeito nas costas ou sentiu a coluna travar de repente sabe o tamanho do incômodo. No auge da dor, vale tudo: analgésico, massagem, acupuntura, fisioterapia, repouso absoluto...Todas são alternativas válidas para o alívio do desconforto desde que adotadas com orientação médica. Também é importante descobrir a origem do problema, pois há casos em que a dor nas costas é um alerta de problemas respiratórios, renais e gastrointestinais ou hérnia de disco, que se forma quando os discos intervertebrais saem da posição normal e comprimem as raízes nervosas entre as vértebras da coluna. 

Descartadas essas opções, esqueça qualquer desculpa para não malhar. Exercitar-se é unanimidade entre os especialistas como uma ferramenta para fortalecer o corpo, aumentar a elasticidade dos músculos das costas e relaxar - e, portanto, prevenir e tratar a dor. Nossos especialistas apontaram as aulas mais indicadas para isso, mas, antes, um alerta: se a dor persistir, consulte um ortopedista ou médico do esporte a fim de investigá-la e encontrar a melhor solução.

Musculação
"É essencial para fortalecer o core (que engloba os músculos do abdômen, da parte de baixo das costas e dos quadris), responsável pela sustentação da coluna", fala Antônio Caputo, educador físico especializado em reabilitação, do Rio de Janeiro. "Quando você reforça essa musculatura, equilibra a forças entre a parte da frente e a de trás do corpo, diminuindo o risco de dor nas costas." A orientação de um professor é chave para evitar erros na execução e exagero nas repetições ou na escolha das cargas - o que pode piorar a situação, em vez de melhorar. Para quem está começando, pegar leve é a regra número um. "Uma boa ideia é apostar em exercícios que usam somente o peso do corpo, em vez de partir para as máquinas", reforça Caputo.

Natação
A fama de aula completa não é à toa: ela alonga o corpo, tonifica os músculos, trabalha a respiração e desestressa - todos benefícios que se refletem em costas sem dor. O esporte leva vantagem também porque a flutuação quase anula a ação da gravidade e, com isso, a pressão na coluna. "A água aquecida relaxa, funciona como um analgésico natural e aumenta o bem-estar de quem sente dor", acrescenta a professora de educação física Renata Rodrigues, da Cia. Athletica no Rio de Janeiro. Mas atenção antes de pular na água. "Dependendo da causa da dor, nados borboleta, peito e crawl devem ser evitados, pois podem forçar as costas e o pescoço", avisa Renata.

Pilates
Mesmo quem procura o método por outras razões - barriga durinha, músculos desenhados, mais alongamento - acaba prevenindo (ou aliviando, caso já tenha) a dor na lombar. "Os movimentos focam a estabilização da coluna e trabalham flexibilidade, força e equilíbrio", diz Rafaela Porto, de São Paulo, instrutora pelo método Stott Pilates. Isso faz do pilates uma atividade ótima tanto para fortalecer o corpo quanto para tratar a dor, seja qual for a origem. Antes de começar, converse com o professor para saber se é preciso restringir algum tipo de posição. Se não houver limitação, até as grávidas podem aproveitar a prática para ajudar no controle do peso, na hora do parto (o abdômen mais forte facilita a saída do bebê) e na volta ao corpo de antes.

Treinamento funcional
"Um dos segredos do sucesso da aula se deve à infinidade de movimentos possíveis e do uso de acessórios como elásticos e bolas para desafiar o corpo de forma dinâmica e de acordo com a condição física e o objetivo de cada um", fala Jackeline Figueiredo, fisioterapeuta do Rio de Janeiro. Para quem sente dor ou tem algum problema de coluna, a atividade pode ser usada como reabilitação - foi essa a aplicação original do funcional, quando foi idealizado, há pelo menos duas décadas: recuperar atletas lesionados e prepará-los para continuar tendo um bom desempenho em suas modalidades.

Guarde suas costas
Desvendamos alguns mitos e verdades quando o assunto é dor e atividade física!

Correr é proibido para quem tem dor nas costas
DEPENDE. Da intensidade da corrida, do peso da corredora, do jeito como você corre. Se você ainda está muito acima do peso (cerca de 10 quilos), é bom secar antes de começar a correr, pois o impacto da atividade pode levar a lesões nas costas. Também é bom fazer musculação para lombar, pernas e abdômen para reforçar a estrutura do corpo.

Quem tem hérnia de disco não pode fazer exercício
MITO. Até algum tempo atrás, pensava-se que a cirurgia era a única solução para a hérnia, mas esse conceito está ultrapassado. Hoje, grande parte dos casos é resolvida só com exercícios, que têm que ser indicados individualmente.

Estalar a coluna é bom para colocá-la no lugar
MITO. Essa não é a melhor maneira de colocar o corpo no eixo, muito menos com a ajuda do namorado, de uma amiga ou de qualquer pessoa que não tenha estudado e se preparado para dar o tranco do jeito certo, o que pode piorar (e muito) a situação. O desalinhamento pode acontecer por causa da contração da musculatura das costas, que provoca dor e faz você se entortar a fim de encontrar uma posição mais confortável.

Quem tem dor nas costas não pode fazer spinning
MITO. Desde que a bicicleta seja regulada de acordo com a sua altura, não há impedimento. "A altura do guidão e do selim deve ser ajustada para que o corpo fique ereto, e as pernas, esticadas (sem hiperestender os joelhos) enquanto você pedala", observa David Homsi. Também é bom manter o abdômen contraído e evitar carga muito pesada e pedaladas em pé.


Três pecados para a coluna
Conheça - e evite - os erros mais comuns na hora de fazer atividade física

Exagerar na carga
Aumentar bruscamente o peso usado nos exercícios também. "Quem quer levantar mais do que aguenta acaba sobrecarregando outras partes do corpo, além da coluna, para conseguir realizar o movimento", fala o educador físico Antônio Caputo, do Rio de Janeiro. O certo é evoluir aos poucos.

Não estabilizar a coluna
Quadris encaixados e abdômen contraído protegem a lombar e minimizam o perigo de se machucar durante o exercício. "Flexionar os joelhos, encostar em uma parede e deitar em um banco reto são outras maneiras de preservar a coluna na musculação", avisa David Homsi.

Agachar errado
Esse é o movimento mais simples que há, mas muita gente erra na execução. Moisés Cohen dá a dica para fazer com perfeição - e sem perigo - o exercício campeão para coxas e glúteos. "Mantenha as costas retas, sem empinar o bumbum, para não forçar a lombar", diz. "Os joelhos não devem ultrapassar a ponta dos pés na hora do agachamento, pois, a partir desse ponto, você estará jogando a carga na articulação, e não mais na coxa", completa.


Fonte: boaforma.abril.com.br

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Conheça os Benefícios da Caminhada Rápida




Se existe um esporte democrático, ele se chama caminhada. Basta um par de tênis, roupas leves e disposição. Pronto: você recebe em troca diversos benefícios para o corpo e a mente, como sensação de bem-estar, a diminuição dos riscos de câncer de mama, a melhora na circulação sanguínea, a eficiência da função pulmonar, o combate à osteoporose, a diminuição do risco de depressão e a maior qualidade do sono, entre outras inúmeras vantagens para a sua saúde.

E tudo fica ainda melhor se você acrescentar um pouquinho de velocidade! A prática também é uma forte aliada para dizer adeus àquelas incômodas gordurinhas – especialistas recomendam caminhar dez mil passos em uma hora, três vezes por semana. “É nesta intensidade, em uma só sessão de exercício físico, que a atividade ajuda para isso”, explica Fábio Ravaglia, presidente do Instituto de Ortopedia e Saúde (IOS).


Escolha seu caminho


A definição do percurso é outro fator que altera o resultado. Enquanto parques geralmente são planos e arborizados, ruas oferecem diferentes obstáculos, como calçadas e subidas, o que exige mais esforço, cuidado e atenção.

Mas calma: é importante escolher o desafio de acordo com os seus limites. “Se tentou subir uma ladeira ou acelerar para gastar mais calorias e sentiu-se ofegante, pare e descanse”, alerta Ravaglia. “Quando se aperta o passo, o gasto de oxigênio costuma chega a ser um terço superior. Por isso, não ultrapasse suas limitações”, complementa.


Com que roupa eu vou?

Sentir-se confortável é essencial. Ou seja, use roupas leves e que permitam que o corpo respire. As clássicas camisetas de algodão são uma boa opção para quem está começando.

Os tecidos sintéticos também são indicados para o figurino, ajudando na evaporação do suor. Mas, se você quiser desembolsar alguns reais a mais, existem hoje no mercado diversas opções de vestimentas com tecnologias capazes até de bloquear os raios ultravioletas.


A escolha certa do tênis é não menos importante, uma vez que evita lesões e garante o seu conforto. “Saiba qual é a característica do seu pé e do seu tipo de pisada, pois assim você diminuirá a ação do impacto durante o treinamento, além de proteger de forma mais segura os seus pés”, conta Leandro Sandoval, da assessoria esportiva Life Training.

Ortopedistas, fisioterapeutas e até profissionais de lojas especializadas em produtos esportivos podem ajudar a diagnosticar qual o modelo ideal. Também existe a opção da baropodometria, que é um teste para verificar os locais onde a pressão do pé é maior e também para criar uma palmilha personalizada.
Assim, você poderá comprar diferentes calçados e trocar apenas este acessório a cada uso. Feito isso, é só se vestir, sair para rua e fazer uma ótima caminhada!


Fonte: portalvital.com

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Recupere o equilíbrio emocional com o treino da academia

Malhação auxilia o tratamento da depressão e até cura uma desilusão amorosa
por Natalia do Vale



Exercícios Físicos

Yoga, natação, ciclismo, musculação, dança, boxe, ufa! São tantas modalidades que não faltam opções para suar a camisa e ficar com o corpo em forma. Mas se a princípio os exercícios atraem pelos benefícios dos músculos esculpidos e formas definidas, não precisa de muito tempo para perceber que suas vantagens logo se estendem até a mente. Isso porque quando praticamos exercícios físicos, nosso organismo sofre uma série de transformações, como a liberação de hormônios neurotransmissores, as endorfinas, que promovem uma sensação de bem-estar e relaxamento. "Praticar esportes é sempre um ótimo recurso para quem precisa levantar o ânimo e auxiliar o tratamento de males como a depressão e a ansiedade", explica a personal trainer doMinhaVida, Valéria Alvim.

É fato que o dia a dia frenético faz com que as pessoas se sintam mais pressionadas, solitárias e eufóricas e aí que a atividade física pode entrar como aliada. "Elas estão sempre atrás de bater metas e cumprir compromissos e isso faz com que a saúde emocional delas fique frágil e vulnerável a doenças como o estresse e transtornos compulsivos", diz a psicóloga Tânia Vieira. Sozinhos, os exercícios físicos não são capazes de curar doenças, mas atuam como excelentes coadjuvantes aos tratamentos médicos. A seguir, confira como mexer o esqueleto revigora muita mais do que o corpo.

Lutando contra a depressão

A doença geralmente está associada a fatores psicológicos, genéticos e biológicos. Os exercícios físicos amenizam os sintomas da doença justamente porque estimula o cérebro a liberar mais endorfinas, alterando os estímulos cerebrais negativos e melhorando o humor do paciente deprimido. O clínico geral Flávio Tocci explica que a depressão é uma doença grave que deve contar com um tratamento multidisciplinar, com o auxílio de psicólogos, clínicos e familiares para ter resultados satisfatórios. "Sem essa combinação fica difícil vencer a doença", explica ele.

"Exercícios aeróbios, alongamento e yoga são muito importantes para a recuperação destes pacientes. Trabalhar o corpo e a mente com atividades que relaxam e ajudam a diminuir a ansiedade e a tristeza. Outra dica é uma aula de dança de salão, que mantém a forma e diverte", explica Valéria Alvim. 

Depressão
 

Aliviando o estresse

O estresse caracteriza-se pela alteração do funcionamento de nosso organismo para adaptar-se a uma situação nova ou às mudanças de um modo geral. Os sintomas aparecem em graus diferentes, como diminuição da concentração, depressão, pessimismo, queda da resistência imunológica, mau-humor, cansaço, irritabilidade, baixa da libido. As doenças psicossomáticas como úlcera gástrica, problemas dermatológicos, queda de cabelo, infertilidade, herpes, entre outras, também podem ser desencadeadas ou agravadas.

A personal trainer Valéria Alvim explica que esportes como o boxe ou o kung fu ajudam a extravasar as tensões e aliviam os sintomas do problema. Ela sugere que pessoas nesta situação pratiquem exercícios físicos que promovam maior liberação de endorfina e relaxamento dos músculos tensos, pois, quando ocorre a combinação destes dois efeitos, há a sensação de bem-estar e melhora do humor e disposição. 

Exercícios Físicos

Chega pra lá na ansiedade
Movimentar o corpo é, sem dúvida, uma das medidas mais aconselháveis contra a ansiedade. Quem está ansioso consegue descarregar no treino todas as tensões geradas por suas expectativas e relaxa, porém, a medida só é eficiente para quem se exercita com frequência. "Não adianta correr ou malhar no fim de semana e esperar resultados duradouros. O corpo responde a estímulos e eles devem ser regulares", explica Ana Beatriz Braga, professora de educação física, da Universidade de São Paulo, e coordenadora de um estudo que aponta a influência do exercício físico agudo sobre a ansiedade.

A pesquisa observou o comportamento de vinte universitárias frente a uma situação de ansiedade logo após terem realizado sessões de exercícios físicos. Os resultados dos testes constataram que os exercícios físicos são por si só estressores, e que a prática constante faz com que as pessoas se adaptem a esse estresse e se tornem mais resistentes ao quadro. ?Por isso, quando pessoas que se exercitam constantemente enfrentam uma situação de ansiedade, acabam passando melhor por ela. É como se elas adquirissem, além do condicionamento físico, o psicológico", explica Ana Beatriz. Para afastar a ansiedade, a personal trainer do MinhaVida recomenda exercícios como o yoga e o pilates.

Para curar o coração partido

Caminhar, pedalar, nadar ou esticar os músculos na aula de pilates. Vale tudo para remendar o coração partido, mas a ideia é sair de casa e respirar novos ares. Tânia Vieira acredita que a principal mudança causada pelos exercícios físicos nas pessoas que sofreram alguma decepção amorosa é a elevação da autoestima e da autoconfiança. Isso faz com que a pessoa passe a se gostar mais e, consequentemente, desperte a atenção dos outros.

"Praticar esportes faz com que as pessoas se voltem a outros objetivos, ocupem o corpo e a cabeça, conheçam outras pessoas e se sintam mais confiantes em si mesmas, o que acaba ajudando na hora da conquista, quando o assunto é partir para outra", explica a psicóloga. Nestes casos, a dica é procurar exercícios que dêem prazer e promovam os resultados esperados. Outra boa pedida é procurar lugares movimentados onde é possível fazer amigos e conhecer gente interessante. Quem sabe o colega de treino não vira um novo amor?

Fonte: minhavida.com.br

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Como evitar irritações na hora de malhar

Entenda como a organização pode te trazer mais vontade de praticar exercícios




Sabia que você pode estar desanimada com a academia por motivos que são fáceis de resolver? Pois é! Às vezes são pequenas coisas que nos irritam e desestimulam quanto à prática de exercícios. Para que elas sumam de vez, basta uma leve organização na hora de malhar.


Tchau, vaidade!

A praticidade pode ser sua aliada na hora das atividades físicas. Por conta disso, deixe a maquiagem e o perfume de lado. Isso mesmo, nada de vaidade!

Usar make pode dificultar na transpiração da pele, além de entupir ainda mais os poros e deixar o "terreno" propício para as espinhas! O ideal é ir com o rosto limpo e, se quiser, aposte em batons de tons claros que deem sensação de saúde à sua aparência. Quanto às fragrâncias, podem irritar a pele devido a vasodilatação no local da aplicação provocada pelo exercício.

Dica: se você for malhar direto do trabalho, carregue lencinhos umedecidos removedores de maquiagem para ficar limpinha na hora de se exercitar.



Cabelo no lugar

Outra medida importante é com o cabelo. Não deixe os fios soltos na hora da prática de esportes. Invista em rabos de cavalo ou coques firmes. Nessa hora, você pode apostar em penteados criativos, como tranças, se quiser ficar bonitinha na malhação. Ah! Nem pense em usar cremes no cabelo. Eles podem escorrer, manchar a roupa e ainda irritar sua pele.


Que roupa usar?

Quanto às roupas, prefira tecidos que não atrapalhem a respiração da pele. Apesar de as peças de tecidos sintéticos colados ao corpo melhorarem o equilíbrio térmico e darem mais precisão aos movimentos, elas também podem provocar diversas reações alérgicas e inflamações se a pele for muito sensível. Sem falar na cooperação na hora de formar acnes e pelos encravados. Por conta disso, prefira roupas de algodão ou tecidos naturais. Além de mais fresquinhos são bem confortáveis!



Por fim... limpeza geral!

Durante o treino, não se esqueça de sempre beber muita água para se manter hidratada. Depois que terminar as atividades, tome um bom banho. Isso para remover as impurezas da face e do corpo provocadas pela transpiração. Ficar muito tempo com a roupa suada pode proliferar fungos, bactérias, micoses, causar inflamações, coceira, assaduras e até o famoso "pé de atleta".


Fonte: maisequilibrio.com.br

quinta-feira, 24 de abril de 2014

11 benefícios da caminhada para o corpo e a mente

Ela controla a pressão, diabetes, protege contra demência e ainda emagrece



Você conhece algum exercício mais fácil de praticar do que a caminhada? Ela não exige habilidade, é barata, pode ser feito praticamente a qualquer hora do dia, não tem restrição de idade e ainda pode ser feita dentro de casa se a pessoa tiver uma esteira. "Para uma pessoa que não pratica nenhum tipo de esporte, uma caminhada de 10 minutos por dia já provoca efeitos perceptíveis ao corpo, depois de apenas uma semana, explica o fisiologista do esporte Paulo Correia, da Unifesp. 

Além da melhora do condicionamento físico, as vantagens de caminhar para a saúde do corpo e da mente são muitas, e comprovadas pela ciência. O Minha Vida reuniu 11 benefícios que esse hábito pode fazer para você. Confira aqui e movimente-se:






Melhora a circulação 

Um estudo feito pela USP, de Ribeirão Preto, provou que caminhar durante aproximadamente 40 minutos é capaz de reduzir a pressão arterial durante 24 horas após o término do exercício. Isso acontece porque durante a prática do exercício, o fluxo de sangue aumenta, levando os vasos sanguíneos a se expandirem, diminuindo a pressão. 

Além disso, a caminhada faz com que a as válvulas do coração trabalhem mais, melhorando a circulação de hemoglobina a e oxigenação do corpo. "Com o maior bombeamento de sangue para o pulmão, o sangue fica mais rico em oxigênio. Somado a isso, a caminhada também faz as artérias, veias e vasos capilares se dilatarem, tornando o transporte de oxigênio mais eficiente às partes periféricas do organismo, como braços e pernas", explica o fisiologista Paulo Correia.  






Deixa o pulmão mais eficiente 

O pulmão também é bastante beneficiado quando caminhamos. De acordo com Paulo Correia, as trocas gasosas que ocorrem nesse órgão passam a ser mais poderosas quando caminhamos com frequência. Isso faz com que uma quantidade maior de impurezas saia do pulmão, deixando-o mais livre de catarros e poeiras.

"A prática da caminhada, se aconselhada por um médico, pode ajudar também a dilatar os brônquios e prevenir algumas inflamações nas vias aéreas, como bronquite. Em alguns casos mais simples, ela tem o mesmo efeito de um xarope bronco dilatador", explica. 






Combate a osteoporose 

O impacto dos pés com o chão tem efeito benéfico aos ossos. A compressão dos ossos da perna, e a movimentação de todo o esqueleto durante uma caminhada faz com que haja uma maior quantidade estímulos elétricos em nossos ossos, chamados de piezelétrico. Esse estímulo facilita a absorção de cálcio, deixando os ossos mais resistentes e menos propensos a sofrerem com a osteoporose. 

"Na fase inicial da perda de massa óssea, a caminhada é uma boa maneira de fortalecer os ossos. Mesmo assim, quando o quadro já é de osteoporose, andar frequentemente pode diminuir o avanço da doença", diz o fisiologista da Unifesp. 






Afasta a depressão 

Durante a caminhada, nosso corpo libera uma quantidade maior de endorfina, hormônio produzido pela hipófise, responsável pela sensação de alegria e relaxamento. Quando uma pessoa começa a praticar exercícios, ela automaticamente produz endorfina. 

Depois de um tempo, é preciso praticar ainda mais exercícios para sentir o efeito benéfico do hormônio. "Começar a caminhar é o inicio de um círculo vicioso. Quando mais você caminha, mais endorfina seu organismo produz, o que te dá mais ânimo. Esse relaxamento também faz com que você esteja preparado para passar cada vez mais tempo caminhando", explica Paulo Correia.







Aumenta a sensação de bem-estar 

Uma breve caminhada em áreas verdes, como parques e jardins, pode melhorar significativamente a saúde mental, trazendo benefícios para o humor e a autoestima, de acordo com um estudo feito pela Universidade de Essex, no Reino Unido. 

Comparando dados de 1,2 mil pessoas de diferentes idades, gêneros e status de saúde mental, os pesquisadores descobriram que aqueles que se envolviam em caminhadas ao ar livre e também, ciclismo, jardinagem, pesca, canoagem, equitação e agricultura, apresentavam efeitos positivos em relação ao humor e à autoestima, mesmo que essas atividades fossem praticadas por apenas alguns minutos diários.  







Deixa o cérebro mais saudável 

Caminhar diariamente é um ótimo exercício para deixar o corpo em forma, melhorar a saúde e retardar o envelhecimento. Entretanto, um novo estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostra que esse efeito antienvelhecimento do exercício pode ser possível também em relação ao cérebro, ao aumentar seus circuitos e reduzir os riscos de problemas de memória e de atenção. "Os estímulos que recebemos quando caminhamos aumento a nossa coordenação e fazem com que nosso cérebro seja capaz de responder a cada vez mais estímulos, sejam eles visuais, táteis, sonoros e olfativos", comenta Paulo Correia.

Outro estudo feito pela Universidade de Pittsburgh, afirma que as pessoas que caminham em média 10 quilômetros por semana apresentam metade dos riscos de ter uma diminuição no volume cerebral. Isso pode ser um fator decisivo na prevenção de vários tipos de demência, inclusive a doença de Alzheimer, que mata lentamente as células cerebrais.   






Diminui a sonolência 

A caminhada durante o dia faz com que o nosso corpo tenha um pico na produção de substâncias estimulantes, como a adrenalina. Essa substância deixa o corpo mais disposto durante as horas subsequentes ao exercício. Somado a isso, a caminhada melhora a qualidade do sono de noite. 

"Como o corpo inteiro passa a gastar energia durante uma caminhada, o nosso organismo adormece mais rapidamente no final do dia. Por isso, poucas pessoas que caminham frequentemente têm insônia e, consequentemente, não tem sonolência no dia seguinte", completa o especialista da Unifesp. 







Mantém o peso em equilíbrio e emagrece 

Esse talvez seja o benefício mais famoso da caminhada. "É claro que caminhar emagrece. Se você está acostumado a gastar uma determinada quantidade de energia e começa a caminhar, o seu corpo passa a ter uma maior demanda calórica que causa uma queima de gorduras localizadas", afirma Paulo Correia. 

E o papel da caminhada na perda de peso não para por aí. Pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que, mesmo horas depois do exercício, a pessoa continua a emagrecer devido à aceleração do metabolismo causada pelo aumento na circulação, respiração e atividade muscular. 

A conclusão foi de que os músculos dos atletas convertem constantemente mais energia em calor do que os de indivíduos sedentários. Isso ocorre porque quem faz um treinamento intensivo de resistência, como é o caso da caminhada, tem um metabolismo mais acelerado







Controla a vontade de comer 

Um estudo recente feito por pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra, sugere que fazer caminhadas pode conter o vício pelo chocolate. Durante o estudo, foram avaliadas 25 pessoas que consumiam uma quantidade de pelo menos 100 gramas por dia de chocolate. Os chocólatras tiveram que renunciar ao consumo do doce e foram divididos em dois grupos, sendo que um deles faria uma caminhada diária. 

Os pesquisadores perceberam que não comer o chocolate, juntamente com o estresse provocado pelo dia a dia, aumentava a vontade de consumir o doce. Mas, uma caminhada de 15 minutos em uma esteira proporciona uma redução significativa da vontade pela guloseima. 

"Além de ocupar o tempo com outra coisa que não seja a comida, a caminhada libera hormônios, como a endorfina, que relaxam e combatem o estresse, efeito que muitas pessoas buscam compulsivamente na comida", afirma Paulo Correia.  







Protege contra derrames e infartos 

Quem anda mantém a saúde protegida das doenças cardiovasculares. Por ajudar a controlar a pressão sanguínea, caminhar é um fator de proteção contra derrames e infarto. "Os vasos ficam mais elásticos e mais propícios a se dilatarem quando há alguma obstrução. Isso impede que as artérias parem de transportar sangue ou entupam", diz Paulo. 

A caminhada também regula os níveis de colesterol no corpo. Ela age tanto na diminuição na produção de gorduras ruins ao organismo, que têm mais facilidade de se acumular nas paredes dos vasos sanguíneos e por isso causar derrames e infartos, como no aumento na produção de HDL, mais conhecido como colesterol bom. 








Diabetes 

A insulina, substância que é responsável pela absorção de glicose pelas células do corpo, é produzida em maior quantidade durante a prática da caminhada, já que a atividade do pâncreas e do fígado são estimuladas durante a caminhada devido à maior circulação de sangue em todos os órgãos. 

Outro ponto importante é que o treinamento aeróbico intenso produzido pela caminhada é capaz de reverter a resistência à insulina, um fator importante para o desenvolvimento de diabetes. Assim fica comprovado que os exercícios têm ainda mais benefícios contra o mal do que se pensava anteriormente. 

"Quanto maior a quantidade de insulina no sangue, maior a capacidade das células absorverem a glicose. Quando esse açúcar está circulando livremente no sangue, pode causar diabetes", explica o fisiologista da Unifesp. 




Fonte: minhavida.com.br

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Os benefícios da hidroginástica




Para quem quer perder peso ou simplesmente manter a saúde em dia, praticar exercícios é essencial. O ideal é sempre procurar algo em que você se sinta bem e que seja prazeroso. Entre tantas opções de atividades físicas, a hidroginástica é uma alternativa muito divertida e que oferece diversos benefícios ao corpo.

Os exercícios na piscina podem ser praticados por pessoas de qualquer idade, por quem tem pouco ou muito condicionamento e também serve para e como terapia em caso de lesões. Também é uma ótima atividade para as gestantes.

A hidroginástica possui um diferencial das demais atividades físicas feitas no solo. Por ser uma atividade praticada na água, ela não apresenta dores, transpiração e sensação de exaustão, e sim um efeito de relaxamento da musculatura e o alívio das tensões.

Entre os benefícios da hidroginástica, podemos destacar que os exercícios na piscina melhoram o condicionamento muscular, a resistência cardiorrespiratória, trabalha a flexibilidade do corpo, o desenvolvimento dos principais grupos musculares, a tonificação dos músculos dos braços, pernas, glúteos, alivia o estresse e ajuda na perda de peso.

Para ter resultados satisfatórios e perceber os benefícios da hidroginástica, o recomendado é praticar pelos três vezes por semana, 45 minutos por dia, durante um tempo de 3 meses. O gasto calórico para esta atividade é de 260 a 400 kcal/hora.





Fonte: dicasdemulher.com.br

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Está acima do peso? 5 dicas para não desistir do treino!




Quem já incorporou há muito tempo os exercícios físicos no dia a dia sabe que não é fácil manter essa rotina de 'atleta'. Agora, imagina para quem está acima do peso? Para facilitar a vida de quem é mais 'cheinho', o treinador físico Vitor Mattoso deixou 5 dicas para você não desistir antes de começar a malhar. Algumas das orientações são aumentar o tempo de treino aos poucos e não ignorar dores nas articulações, principalmente nos tornozelos, joelhos e coluna.

'O primeiro passo é procurar um ambiente convidativo, que garanta acolhida. E não há restrição de atividades por conta de peso. O que precisa é ter cuidado e levar em consideração o perfil de cada pessoa. Por esse motivo, cada vez mais o treino é individualizado. Se a pessoa tem um problema nos ligamentos dos joelhos, por exemplo, uma série igual para todos de um grupo pode render uma lesão', exemplifica.

Além disso, Vitor explica que as atividades que realmente dão certo são aquelas que respeitam os limites individuais, fazendo, inclusive, com que as pessoas acima do peso não desistam de malhar. O treinador também é o idealizador do SAFO (Sistema de Atividades Funcionais para Obesos). 'O projeto auxilia as pessoas interessadas em emagrecer de forma humanizada, ou seja, com muita diversão e alegria', define o profissional.

Para o instrutor, a musculação pode se tornar a principal aliada dos gordinhos. 'É a atividade que mais provoca a queima de gordura e o aumento da massa magra'. Ele aproveita para expor um problema que afasta essas pessoas do treino. 'Mas os aparelhos de musculação não são fabricados para as medidas de quem está acima do peso, o que é contraditório, já que é o melhor exercício para eles. Bastaria ter bancos mais confortáveis para que esse público se sinta convidado a utilizar os equipamentos', exemplifica.





Procure sua turma

Segundo o instrutor, fazer atividade física num ambiente que não é convidativo é o primeiro passo para a desistência. 'Por isso, procure sua turma ou até mesmo um grupo que tenha os mesmos objetivos que os seus'.





Respeite seus limites

O professor explica que não há restrição de atividades por conta de peso. O que precisa é ter cuidado e levar em consideração o perfil de cada pessoa. Por esse motivo, cada vez mais o treino é individualizado. Se a pessoa tem um problema nos ligamentos dos joelhos, por exemplo, uma série igual para todos de um grupo pode render uma lesão', exemplifica.

'No fim, as atividades que realmente dão certo e fazem com que as pessoas muito acima do peso não desistam de malhar são aquelas que respeitam os limites individuais. Mas sem deixar de buscar os objetivos esperados, como perda de peso e aumento de capacidade física'.





Aumente a rotina de exercícios gradualmente

Apesar de não restringir nenhum exercício, Vitor Mattoso conta que dois pontos devem ser bem trabalhados, principalmente, nos primeiros treinos: a mudança na alimentação e a carga de atividades. 'Não entre em uma dieta extremamente restritiva, nem se exercite todos os dias. No caso da prática de exercícios, o que deve ser levado em conta não é a obesidade e, sim, o sedentarismo. O que faz a pessoa tomar choque no primeiro momento é o exagero'.

O treinador indica de 15 a 30 minutos para começar. 'Assim, a pessoa vai para casa leve, tranquila, certa de que foi positivo. E no próximo dia de treino reserve 32 minutos, e vá aumentando aos poucos'.





Musculação é exercício aliado da queima de gordura

O treinador afirma que a musculação é um grande aliado das pessoas acima do peso. 'Essa é a atividade que mais provoca a queima de gordura e aumento da massa magra'. O professor aproveita para expor um problema que afasta essas pessoas do treino. 'Os aparelhos de musculação não são fabricados para as medidas das pessoas mais cheinhas. O que é contraditório, já que é o melhor exercício para eles. Bastaria ter bancos mais confortáveis para que esse público se sinta convidado a utilizar os equipamentos', exemplifica.

Outras opções de atividades que também dão bons resultados são as aeróbicas, como caminhada, corrida, jump e outras similares. 'Elas  provocam a queima de gordura, mas requerem muito mais desempenho mental. Para praticá-las é exigida resistência, às vezes maior do que a musculação, que demanda esforço'.





Não ignore dores nas articulações

Tornozelos, joelhos e coluna requerem zelo. 'Para esse público que está acima do peso é preciso cuidado triplicado. Isso porque as articulações deles estão sobrecarregadas pelo excesso de peso, pois, normalmente, os gordinhos não praticam exercícios. O que leva a musculatura a ficar enfraquecida até mesmo para uma caminhada de poucos metros', explica.

'É mais uma questão de bom senso com seus limites do que de técnica certa ou errada. O ideal é que o professor e o aluno se atentem para dores nestas regiões. Sugiro uma parada para avaliação em um curto espaço de tempo. Se fizer 5 minutos de uma atividade e a avaliação apontar que está tudo bem, dá para seguir em frente. Mas se a pessoa começar a reclamar de sentir o tornozelo ou qualquer outro mal-estar, é o caso de reavaliá-la'.





Fonte: estilo.br.msb.com

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Roupas para Academia

Estar com o corpo em dia é o desejo de todos, com raríssimas exceções, porém nem todos estão dispostos a se dedicarem a isso. Por outro lado, há aqueles que apreciam a forma física e não se importam de gastarem horas na academia, mas será que com tanto esforço e suor, não há nenhum roupa que seja especifica ou então que possa proporcionar um melhor rendimento nos treinos? A resposta é sim, pois o universo fitness não está só nas academias, mas também ganhou espaço na moda e está presente em vários lugares, inclusive no corpo das celebridades.



Roupas para Academia


Por incrível que pareça, há quem vá para a academia de bermuda jeans, não há nada de errado nisso, desde que a pessoa não malhe. Para malhar é fundamental estar com roupas leves, um short, uma camiseta ou regata, essas são as peças mais recomendadas para os homens, seguidas preferencialmente de um tênis com amortecimento. Para as mulheres a popular calça leggin e uma blusinha ou top, juntamente com o tênis de amortecimento já estão mais que ideais. Evitar o uso de brincos, pulseiras e relógios também é uma boa dica. O ideal mesmo é que suas roupas se ajustem aos movimentos do seu corpo, pois assim além de confortável, os resultados também serão melhores.

















































Fonte: tocadacotia.com

quarta-feira, 26 de março de 2014

Nunca é tarde para cuidar do corpo

Tenha um objetivo para seu esporte, como perder peso, melhorar o colesterol, a pressão etc



Já estamos em fevereiro e você já começou a seguir as suas promessas de ano novo, como por exemplo, praticar um esporte? Não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível e, com certeza, os resultados compensam.

Quem pratica esporte fica com mais disposição, energia e logo observa melhora na sua produtividade e no seu tempo

Leia, o exemplo do escritor é administrador do blog Mais tempo, Christian Barbosa, que precisou aprender a importância da atividade física na marra.

“Pratico esporte três vezes por semana e estou tentando aumentar mais um dia. Confesso que não foi do dia para a noite, consegui mudar graças às pesquisas que fiz para o meu livro. O grande problema é dar o primeiro passo e sair do lugar. Por isso, convido você a experimentar colocar uma atividade física na sua vida. Confira algumas dicas que ajudarão a tornar isso uma realidade:

1 – Comece aos poucos – Se você começar andando 15 minutos, duas vezes por semana, já é o primeiro passo. Ninguém vira esportista do dia para a noite, é preciso tempo.

2 – Coloque uma meta – Tenha um objetivo para seu esporte, como perder peso, melhorar o colesterol, a pressão etc. As métricas motivam a manter o ritmo.

3 – Use horários inteligentes – Se você usar horários muito próximo aos horários de trabalho, a chance de imprevistos acontecerem e você adiar o seu esporte é grande. No começo, para evitar as desculpas de tempo, crie horários alternativos como bem à noite ou logo cedo. Já para quem viaja muito, a solução é investir nos “esportes móveis”. Quando estou fora de casa, por exemplo, levo uma corda de pular profissional, cabe fácil na mala e dá um reforço impressionante no fôlego. Se esse é seu caso, compre acessórios que permitam fazer um exercício em qualquer lugar.

5 – Visite uma loja de esportes – Nessas lojas você descobre esportes novos, conhece equipamentos, vê roupas e recebe dicas para melhorar sua performance. Caso esteja animado com seu esporte, invista nisso, reforçará sua motivação.

6 – Fale com seu médico – Antes de sair pegando pesado é preciso agendar uma consulta com um médico e checar a saúde. Peça também sugestões de alimentação ou até de suplementos vitamínicos.

Não importa qual é o seu esporte preferido, pode ser uma simples caminhada até a participação no Ironman, competição de triatlo, o que importa é o benefício que ele irá trazer para a saúde, longevidade e produtividade”!





Fonte: folhavitoria.com.br

quinta-feira, 20 de março de 2014

Tipos de atividade aeróbica

Toda atividade física o ajudará a perder peso e a melhorar sua saúde. Mas para queimar a maior parte das calorias e obter a maioria dos benefícios à saúde de seu programa de atividades, tente incluir os três tipos básicos de atividade física - exercício aeróbico (também chamado de condicionamento cardiovascular), exercícios de força e alongamento - no programa.

Cada tipo de atividade queima calorias, ainda que ofereça seus próprios benefícios à saúde e de controle de peso. Juntas, essas três atividades proporcionam a seu corpo a capacidade de realizar as atividades diárias por toda sua vida.


Atividade aeróbica

A atividade aeróbica é o tipo que utiliza os grandes músculos dos braços e pernas, fazendo subir seus batimentos cardíacos e deixando sua respiração mais acelerada. Os exercícios aeróbicos, como caminhar, andar de bicicleta e correr, são excelentes para seu sistema cardiovascular, pois fortalecem seu coração, diminuem sua pressão sanguínea e melhoram sua circulação. E não há substituto para a atividade aeróbica quando se trata de queima de calorias e gordura.

Os especialistas recomendam que você se exercite a uma intensidade moderada, pelo menos no início de um programa de exercícios aeróbicos. Há duas maneiras de saber se você está no nível moderado. A mais simples é o "teste da fala". Se ainda conseguir conversar, e a atividade parecer um tanto fatigante, então, provavelmente, você está no ritmo certo. Se você tiver dificuldade para falar e estiver ofegante, vá devagar. Isso indica que você está forçando demais.

Se estiver respirando tranquilamente e ainda conseguir cantar uma música enquanto se exercita, aumente o ritmo para queimar gordura. Se seu pulso estiver abaixo de seu batimento cardíaco, aumente o ritmo de sua atividade. Se seu pulso estiver acima de sua zona-alvo, diminua a intensidade da atividade. Uma das melhores e mais fáceis atividades aeróbicas que você pode fazer é a caminhada. É fácil encaixá-la no seu dia, além de poder fazê-la em praticamente qualquer lugar.

Se você andar nas proximidades de sua casa, trabalho ou numa pista de corrida, a caminhada faz você se mexer sem qualquer preocupação. Tudo que você precisa é de calçados adequados, roupas folgadas e uma garrafa de água. Aumentar o ritmo e mexer os braços à medida que caminha estimula a intensidade e a quantidade de calorias queimadas sem qualquer tempo adicional. Se o tempo estiver feio, tenha uma outra alternativa, como fazer uma caminhada em um lugar fechado. Muitas pessoas fazem suas atividades aeróbicas pela manhã, antes do trabalho, durante a hora de almoço e/ou depois do jantar. Compete a você decidir, além de a programação poder ser flexível.






Os exemplos de atividades aeróbicas moderadas incluem, mas não se limitam a:

• body pump
• bicicleta (spinning)
• dança
• corrida
• caminhada
• step
• pular corda
• esqui
• patinação
• natação - especialmente adequado se você tiver problemas de articulação
• hidroginástica
• afazeres domésticos
• a maioria dos esportes coletivos

Lembre-se de alongar os músculos antes de qualquer atividade. Não esqueça de fazer o alongamento também após a atividade, pois ajuda a soltar e relaxar os músculos, além de melhorar a flexibilidade. 


Escolha o seu exercício e divirta-se!









Fonte: esportemulher.com.br